[dt_sc_full_width first]

São exames complementares, solicitados para avaliar os pacientes assintomáticos com fatores de risco para doenças cardiovasculares. O diagnóstico é parte fundamental para o sucesso de qualquer tratamento e/ou intervenção médica.

Por isso, o hospital disponibiliza os exames abaixo:

[/dt_sc_full_width][dt_sc_one_half first][dt_sc_icon_box type=”type10″ fontawesome_icon=”info-circle” custom_icon=”” title=”Ecocardiograma ou Ecocardiografia” link=”#” custom_bgcolor=”#27ae60″]

O que é?

É um método auxiliar de diagnóstico utilizado no estudo do coração, com o intuito de detectar anomalias morfológicas e funcionais das suas estruturas – câmaras cardíacas (aurículas e ventrículos), válvulas e grandes vasos sanguíneos (artéria pulmonar e aorta), permitindo também medir o fluxo de sangue nas válvulas e nos grandes vasos do coração. Trata-se de um ultrassom do coração, que possibilita a geração de imagens. Atualmente, o ecocardiograma é o principal meio de diagnóstico não invasivo na grande maioria das doenças cardíacas. Fornece uma série de detalhes anatômicos, como tamanho, espessura, movimentação das válvulas, contração do músculo, fluxo sanguíneo etc.

[/dt_sc_icon_box][dt_sc_icon_box type=”type10″ fontawesome_icon=”info-circle” custom_icon=”” title=”Eletrocardiograma” link=”#” custom_bgcolor=”#27ae60″] O que é?

O eletrocardiograma ou ECG é o registro gráfico da atividade elétrica do coração, realizado em aparelho chamado eletrocardiógrafo. O exame é utilizado sempre que se deseja avaliar a função cardíaca.

[/dt_sc_icon_box][dt_sc_icon_box type=”type10″ fontawesome_icon=”info-circle” custom_icon=”” title=”Cardiotocografia” link=”#” custom_bgcolor=”#27ae60″] O que é?

A cardiotocografia (CTG) é um método biofísico não invasivo de avaliação do bem estar fetal. Consiste no registro gráfico da frequência cardíaca fetal e das contrações uterinas.

[/dt_sc_icon_box][dt_sc_icon_box type=”type10″ fontawesome_icon=”info-circle” custom_icon=”” title=”Eletroencefalograma” link=”#” custom_bgcolor=”#27ae60″] O que é?

O EEG é um exame que analisa a atividade elétrica cerebral espontânea, captada por meio da utilização de eletrodos colocados sobre o couro cabeludo. Como a atividade elétrica espontânea está presente desde o nascimento, o EEG pode ser útil em todas as idades, desde recém-nascidos até pacientes idosos. O objetivo desse exame é obter registro da atividade elétrica cerebral para o diagnóstico de eventuais anormalidades dessa atividade.

Como é feito o exame?

Realizado através de eletrodos aplicados no couro cabeludo, na superfície encefálica.

[/dt_sc_icon_box][/dt_sc_one_half][dt_sc_one_half ][dt_sc_icon_box type=”type10″ fontawesome_icon=”info-circle” custom_icon=”” title=”Eletroneuromiografia” link=”#” custom_bgcolor=”#27ae60″] O que é?

É um exame que permite avaliar a integridade dos nervos de condução e a capacidade muscular. O equipamento utilizado é similar a um computador. Geram-se estímulos, que são aplicados aos nervos. Pela captação e análise da condução desse estímulo ao longo da trajetória do nervo podem-se localizar pontos de anormalidades. As agulhas usadas são similares às de acupuntura.

Como é feito o exame?

O exame é feito em duas partes: na primeira, mede-se a condução nervosa através de choques elétricos nos nervos periféricos; na segunda parte, são introduzidas agulhas no músculo que analisa a atividade muscular no repouso e no esforço muscular leve.

[/dt_sc_icon_box][dt_sc_icon_box type=”type10″ fontawesome_icon=”info-circle” custom_icon=”” title=”Holter” link=”#” custom_bgcolor=”#27ae60″] O que é?

É um exame que monitora continuamente a atividade elétrica cardíaca, por 24 horas ou mais, através de um aparelho portátil. Destina-se a detectar alterações do registro cardíaco durante a sua atividade diária normal e a correlacioná-las com eventuais sintomas referenciados pelo paciente (ex: palpitações, tonturas ou perda da consciência). O período estendido de gravações é útil para observar as arritmias cardíacas ocasionais que seriam difíceis de serem identificadas em um período de tempo menor, como em um exame de eletrocardiografia.

Como é feito?

O Holter registra os sinais elétricos do coração através de uma série de eletrodos presos no tórax (os pêlos precisam ser raspados no local onde ficará o eletrodo). Esses eletrodos, depois de aplicados no tórax, são ligados por meio de fios ao registrador que será transportado à cintura numa bolsa apropriada. Durante 24 horas, a pessoa deve manter a sua rotina normalmente, exceto tomar banho, e registrar, num diário fornecido por um técnico, qualquer sintoma que tenha apresentado. Após esse período, o equipamento deverá ser retirado e devolvido, juntamente com o diário dos sintomas. O holter é habitualmente analisado por um técnico com o auxílio de um programa de computador e revisado pelo médico cardiologista.

[/dt_sc_icon_box][dt_sc_icon_box type=”type10″ fontawesome_icon=”info-circle” custom_icon=”” title=”Teste Ergométrico” link=”#” custom_bgcolor=”#27ae60″] O que é?

É um exame que consiste em submeter o paciente a uma determinada modalidade de esforço físico, graduado e monitorado através de um eletrocardiograma, além de medir a pressão arterial. A exposição ao esforço físico permite que se avalie o grau de condicionamento físico e o comportamento do sistema cardiovascular no esforço. Algumas doenças se manifestam durante ou logo após a realização de exercícios. Muitas alterações cardíacas são exacerbadas ou, às vezes, atenuadas pela atividade física. Durante o teste ergométrico, o médico acompanha a pressão arterial, a frequência cardíaca e o traçado eletrocardiográfico (eletrodos são conectados ao tórax do paciente), podendo observar o aparecimento de alterações que auxiliam no diagnóstico e compreensão de sintomas.

Como é feito?

O esforço pode ser realizado, geralmente, através de esteira ou bicicleta.

[/dt_sc_icon_box][/dt_sc_one_half]